terça-feira, 5 de março de 2013

INVOLUNTÁRIA COMÉDIA DE ERROS

Dorival aquele cantava que era doce morrer no mar, Dorival esse cantou que é amargo morrer na praia. Errou muito esse Dorival. A escalação do Carlos Eduardo, por exemplo. Entrar em jogo de importância relativa sem estar em forma é uma coisa, entrar em decisão outra completamente diferente. Tem consequência. Aquele papo supersticioso de "em time que está ganhando não se mexe". Uma bobagem. A ideia deve ser "em time bom não se mexe". Se o time ganha aos trancos e barrancos, deve-se mexer para melhorá-lo. Límpido como 2 + 2 = 4. Na hora da pressão Dorival esse põe pra armar o jogo Ibson e o Abreu, oferecendo todo o campo de contrataque. Deve ter pensado que perder de goleada era mais, sei lá, honesto? No fim devia ter sido expulso ao entrar no campo e participar do jogo. Deve andar com saudade de uma tão ridícula quanto desnecessária expulsão. Uma única bola chegou pro Hernane, não conferiu. Rafinha e Rodolfo não passavam a bola um pro outro. O que foi aquele cotejo particular? Vedetismo precoce? Sua Vigarice que arbitra cometeu três erros graves, mas diante de tanto erro rubronegro creditar erro dos outros parece mero buá-buá.

Um comentário:

Pai Xoxó disse...

Chora mulambada hahahahahahah
http://ahhtahh.blogspot.com.br/

Zico você nunca foi NADA!!!!! Ganhou uma liberta no tapetão e um mundial comprando o goleiro!!

Cadê a estátua do José Roberto Wright verdadeiro Heroi flamenguista da Libertadores