segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

OS ANOS 60 - parte I

Houve 3 títulos significativos na década. O 1º foi em 1961, o Torneio Rio-São Paulo. Ainda não havia um campeonato nacional e o Rio-São Paulo era o que mais se aproximava do formato. Os 2 maiores centros do país se confrontando entre março e abril, antes dos certames regionais. Foi o 1º e único título do Flamengo na competição, que começou com duas vitórias maiúsculas, ambas no Pacaembu: 2x1 contra o São Paulo e 3x2 contra o Palmeiras. Depois vieram 2 retumbantes fracassos no Maraca: um inacreditável 7x1 contra o Santos de Pelé (só o negão fez 4), um outro mais magro e ainda assim vexaminoso 3x0 contra o Botafogo de Garrincha (Mané fez 1). Apesar destes maus resultados, a classificação veio e veio também a magnífica revanche: na semifinal, em pleno Pacaembu, o Flamengo meteu 5x1 no Santos e desta vez o Pelé era branco - um garoto de 20 anos comeu a bola e fez 3 gols, o maior craque formado na Gávea naquela década e criminosamente vendido 2 anos depois, o nome do garoto era Gérson e o apelido célebre "canhotinha de ouro" começava ali. A final foi no Maraca, 2x0 contra o Corínthians. Os câmeras do Canal 100 perdem o 1º gol, de Joel, (1.41) embora peçam atenção para o que vão mostrar - talvez para o Canal 100 futebol é o contrário do que é para o Parreira, só bola na rede. O 2º gol foi de Dida, o grande camisa 10 da Gávea, antes de Zico. Dá para ver uma arrancada e o chute de Gérson (2.08) e matar a saudade de quem viu o craque com o manto sagrado. Quem não viu, xinga. O time base era, no 4-2-4 característico da época: Ari, Joubert, Bolero, Jadir e Jordan, Carlinhos e Gérson, Joel, Henrique, Dida e Babá. O artilheiro do time foi Dida, com 8 gols. O técnico era o "feiticeiro" Fleitas Solich.


Um comentário:

Mengão Guerreiro disse...

Que momento histórico! Fantástica essa retrospectiva. Que surjam outros Didas, Gérsons, Zicos e cia, e principalmente, que a diretoria saiba aproveitar.
Abços