quinta-feira, 15 de julho de 2010

UMA VEZ, SEMPRE

Era um dia em que ir ao jogo tinha uma importância fora de medida. Há hora em que o time precisa de você e você igualmente precisa do time para renovar a sua paixão. Reafirmá-la. Rejuvenescê-la. Como a noite de ontem. Uma noite estranha em que parecia haver mais gente do outro lado. Em que o gramado parecia um pasto. Ontem, quando cheguei em casa, só consegui postar a fotografia da bela defesa do Marcelo Lomba. Marcelo Lomba foi o símbolo do reerguimento do time. Uma atuação segura, comprometida, consequente, técnica. A vitória deveu-se ao time, mas sobretudo deveu-se a ele, a Ronaldo Angelim e a Petkovic. Uma noite e uma vitória com a substância da lenda. Quem foi, sentiu. Quem de longe viu, percebeu.

Um comentário:

Julio Cesar disse...

Vitória sobretudo com a nossa cara, na raça, sofrida, chorada (em outro sentido, não o choro chorafoguense).
Não se deve desprezar o Flamengo