sexta-feira, 24 de julho de 2009

VIDA QUE SEGUE: DOMINGO TEM JOGO

A saída do Cuca não vai resolver qualquer dos problemas de ordem estrutural do Flamengo. Da mesma forma que a permanência do Cuca não iria resolver qualquer desses problemas. Não vamos cair na fácil tentação sebastianista. O problema do Cuca se circunscreve ao campo de jogo, ao time. Em nenhum momento o onze teve forma de time, sabia-se que era um time exatamente pelo onze e o uniforme do onze. Contra o Barueri foi inacreditável ver todo escanteio a favor virar contra-ataque adversário; o lateral esquerdo juvenil não fazia uma grande partida, mas estava longe de jogar mal e mais: tinha a ousadia de tentar as jogadas, não se escondia da disputa (onde o Kléberson? cadê o Leo Moura?) - ousadia punida com a inexplicável substituição. Cuca já estava fora do Flamengo há algum tempo. Papo de presidente interino, papo de telefonema para dirigente, mal-estar com peças do elenco, ou tão somente mal-estar: Cuca parece ser o último sartreano sobre a face da Terra. Página virada.

3 comentários:

AF STURT disse...

Estão falando em Parreira, acho que não vai da certo!!!

Edu disse...

Ratos começaram a abandonar o navio

William disse...

Cada vez fica mais revelada a face traíra do Cuca...