segunda-feira, 8 de junho de 2009

CUCA DE TÉCNICO

Dunga, sem revelar a mágica, convoca o Kléberson. Dunga é daqueles que substitui o 6 por meia-dúzia. Podia ser o Ibson, o Hernanes, o Elias. Mas foi o Kléberson. Desconfio que a convocação seja por jogada de dado. 1 Kléberson, 2Ibson, 3etc, etc. Deu 1 e lá se foi o Kléberson. O que faz o técnico para suprir a ausência? Pega a camisa e grita pro campo: ei, Zé Roberto, vem cá. Ou ainda: ei, Erick, vem cá. Ou o mais provável: ei, Éverton branco, vem cá. Nada disso. Trocar um pelo outro seria tão simples que a idéia passar pela cabeça do técnico torna-se coisa remota. Sai Kléberson, entra Willians. Aí sai de sua função o Willians e entra o Toró. Na função do Toró entra o Aírton. Saindo o Aírton, entra o Welinton. Simples assim. Em 5 minutos a mágica do Cuca revelou o truque e Cuca se revelou o anti-Dunga.

3 comentários:

William disse...

Em 8 minutos sofrer 4 gols, isso não é um time de verdade

Julio Cesar disse...

Verdade, essa de botar zagueiro no lugar de meia...

Edu disse...

Antes o mico era perder de 3, agora é de 4